Arquivo da tag: Extreme

Configuração Switchs Extreme – MLAG-LACP

Configuração Switchs Extreme 650T – MLAG-LACP

Sumário

Este documento visa facilitar o entendimento do funcionamento da Tecnologia MLAG-LACP – Multi Chassis Link Aggregation. Que permitirá o funcionamento de forma homologada as Blades DELL instaladas no ambiente do IDC.

O que é LAG e como funciona?

Na verdade, LACP ou Link Aggregation Control Procol é uma tecnologia bastante usada que lhe permite combinar várias interfaces paralelas em um único link virtual (a partir da perspectiva STP). Com a combinação de interfaces paralelas sendo substituídos por um único link virtual o STP não detecta loops e todas as conexões físicas podem ser utilizadas normalmente.

lag

Figura 1 – Representação gráfica do LACP do ponto de vista Físico.

 

O que é MLAG e como funciona?

Multi-Chassis LAG é uma tecnologia emergente que é destinado principalmente a resolver os problemas relacionados a ineficiências no Spanning-Tree Protocol (STP) em ambientes de data center. Normalmente, em topologias de Agregação de link, dois dispositivos envolvidos estão diretamente conectados. Imagine que você tivesse duas Switchs físicas usando um único Stack. Então as conexões destas Switchs físicas funcionarão dentro de um mesmo Stack e você poderá agregá-las. Com isso o fundamento sobre a Tecnologia Multi-Chassis Link Aggregation (MLAG) está explicado.

mlag_1

Figura 2 – Representação gráfica do MLAG do ponto de vista Físico

MLAG é a estratégia mais simples de Multipath Layer 2 que os fornecedores oferecem hoje em dia. O MLAG permite que vários switches físicos se apresentem para outros dispositivos em uma rede como um único switch, embora cada Switch continua a ser gerenciada de forma independente. Isso permite que você conecte de forma múltipla um host físico sendo uma interface conectada a cada uma das Switchs no grupo MLAG enquanto encaminha dados ativamente em todos os links no lugar de se ter apenas alguns links ativos e desperdiçando alguns outros enquanto eles estão em Standby pelo tradicional STP. O LACP (802.3ad) é comumente usado para fazer a comutação destes links.

mlag_2

Figura 3 – Representação gráfica de conexões entre Switchs usando MLAG no Stack de Switchs principal e um Dispositivo ou Host na outra extremidade.

 

Sugestão de implantação

O motivador principal seria manter o nível de conectividade entre VLANs também redundante. O STP de alguma forma nos atenderia em parte, mas o formato de funcionamento do STP que é baseado em vedar um link e liberar outro baseado em demanda, não nos traria sucesso visto que a necessidade seria o balanceamento da carga de conexão.

 

Vantagem e desvantagens no uso do MLAG

Vantagens

  • Pode ser montado em um LAG existente.
  • É implementado pela maioria dos fabricantes alguns necessitam apenas de um upgrade de Firmware.

Desvantagens

  • A adição física de interfaces a um peer MLAG nem sempre resulta em uma agregação de banda proporcional.
  • Existe algum nível de compatibilidade entre vendors e o MLAG, no entanto isso nem sempre funciona, a recomendação é que se utilize equipamentos iguais.
  • É muito importante entender que um peer MLAG continuam sendo dois Switchs Físicos com seu próprio gerenciamento. Portanto a comunicação entre Switchs deve ser mantida para assegurar estabilidade, uma falha de empilhamento (stack) poderá causar problemas.

Passos a serem executados

Como apresentado no artigo acima vamos utilizar os protocolos MLAG (Multi Chassis Link Aggregation Protocol) e LACP (Link Aggregation Control Protocol – IEE 802.3ad).

Os benefícios principais desta Tecnologia é o aumento de banda disponível e a alta-disponibilidade de conexão.

Seguem abaixo os comando utilizados no lado da Switch Extreme Summit X650T para habilitar esta tecnologia:

Extreme Summit X650T

Slot-1 X650-CORE # enable sharing 1:29 grouping 1:29 algorithm address-based L3_L4 lacp
Slot-1 X650-CORE # enable sharing 2:29 grouping 2:29 algorithm address-based L3_L4 lacp

Traduzindo os comandos acima: o “sharing” ativa o recurso de agregação de portas, os números significam as portas que serão utilizadas.

Após executados os comandos acima temos duas portas em cada Switch que respondem como uma apenas, e então podemos avançar para a definição de VLANs.

Para definir as associações de VLANs as portas com LACP executamos os seguintes comandos:

Extreme Summit X650T

Slot-1 X650-CORE # configure vlan RNP_DMZ add ports 1:29, 2:29 tagged
Slot-1 X650-CORE # configure vlan RNP_DMZL add ports 1:29, 2:29 tagged
Slot-1 X650-CORE # configure vlan RNP_EXT add ports 1:29, 2:29 tagged
Slot-1 X650-CORE # configure vlan RNP_INT add ports 1:29, 2:29 tagged
Slot-1 X650-CORE-11ANDAR.1 # configure vlan RNP_WIFI add ports 1:29, 2:29 tagged

Traduzindo os comandos acima; Temos a necessidade de transmitir todas as Tags através destas portas visto que a Switch do Chassis das Blades será configurado para interpretar todas elas, o que significa que todo a infra será em Camada 2 enquanto que a Camada 3 continuará a ser tratada apenas pelo Firewall e o Roteador.

Feito isso efetuamos as conexões físicas e iniciamos a migração das regras.

Seguem abaixo os passos para criarmos os peers MLAG.

Extreme Summit X650T

Slot-1 X650-CORE # create mlag "peer1"
Slot-1 X650-CORE # configure mlag peer "peer1" lacp-mac 00:11:22:33:44:55
Slot-1 X650-CORE # enable mlag port 1:29 peer "peer1" id 1
Slot-1 X650-CORE # enable mlag port 2:29 peer "peer1" id 1
Slot-1 X650-CORE #

 

 

 

Anúncios

Configurando Switch Extreme Summit x650 Series.

Utilizando o protocolo LACP (Link Aggregation Control Protocol).

A Switch Extreme demonstrou certa facilidade para configurar este protocolo, para quem não sabe este protocolo permite aumentarmos a capacidade de banda agrupando duas ou mais portas para que se comportem como uma apenas.

A Extreme apelida este recurso com um nome mas isso não muda seu funcionamento, eles o chamam de Load Sharing e para ajudar a entender melhor segue uma imagem de um agrupamento de portas:

summit

Na prática fica assim:

enable sharing <master_port> grouping <portlist>

disable sharing <master_port>

Exemplo:  enable sharing 9 grouping 9-12

Lembre que quando estiver usando o Load Sharing você deve sempre referenciar a porta master do grupo load-sharing (no exemplo porta 9).

Criando VLANs

Para criar VLANs a Extreme também não resolveu complicar, no caso o que precisamos saber é se a VLAN a ser criada precisará ser propagada para outras switchs.

Caso positivo nós devemos “taggear” os segmentos pois somente assim outras switchs saberão o que fazer com os segmentos.

Caso negativo nós aplicamos o “untagged” que apenas aplica o tag VLAN aos pacotes entrantes.

Na prática vemos abaixo.

– Com tag:

create vlan sales

config sales tag 120

config sales add port 1-3 tagged

– Sem tag:

create vlan it

config sales tag 140

config sales add port 4-7 tagged

Listando as VLANs:

show vlan all

Por hoje é só!

Um abraço a todos.


.ılı.ılı. CiscoBlog Brasil .ılı.ılı. » Introdução a plataforma Extreme Networks + Guia de comandos

Procurando por informações sobre experiência com equipamentos da Extreme Networks esbarrei neste post que me permitiu ter um visão bem sucinta dos procedimentos de configuração.

Agradecimentos ao nosso amigo Diogo Mendes  http://flavors.me/diogoserrano.

.ılı.ılı. CiscoBlog Brasil .ılı.ılı. » Introdução a plataforma Extreme Networks + Guia de comandos.